domingo, 19 de junho de 2011

CÍLIOS E FLAGELOS

Cílios

Os cílios são estruturas curtas, finas e piliformes semelhantes a pêlos. São encontrados na maioria dos epitélios ciliados e sua adesão a esse tecido se dá pelos Corpúsculos Basais que fixam firmemente os cílios ao epitélio.

A formação dessas estruturas é realizada por uma constituição de nove pares de microtúbulos ao redor de dois microtubúlos centrais, essa constituição pode ser observada em microscopia eletrônica em corte longitudinal. Já em corte transversal, percebe-se que cada dupla possui um par de braços que contém a dineina ciliar associada ao microtúbulo, sendo este arranjo importante para conferir movimento ao cílio.

Estas estruturas citoplasmáticas podem ser encontradas revestindo diversos órgãos e possuem um movimento sincronizado proporcionado pelas estruturas constituintes. No trato respiratório estão associadas a células que secretam muco, quando a poeira se deposita no trato respiratório superior são captadas pelo muco e levadas para cavidade bucal, onde será deglutida e eliminada pelo organismo. Nas tubas uterinas auxiliam no transporte do ovócito II. Alterações na formação dos cílios estão relacionadas com uma diversidade de doenças hereditárias, como a Discinesia Ciliar Primária (Síndrome de Kartagener).


Flagelos

Os Flagelos são estruturas semelhantes aos Cílios, porém são únicos e mais longos. Constituídos por Dineínas e nove pares de Microtúbulos que ficam envolta de dois pares centrais. Tem seus movimentos produzidos por um arqueamento central chamado de Axonema e proteínas que são constituídas de Tubulina. Os movimentos dos Flagelos são oriundos de contrações, nas quais ocorre o deslizamento dos pares de Microtúbulos entre si. A força resultante destes movimentos origina-se da interação dos braços de Dineína com os Microtúbulos dos pares vizinhos.

No corpo humano, encontram-se essas estruturas nos espermatozóides. Podem ser encontrados também imersos na parede celular e na membrana plasmática das células bacterianas, sendo responsáveis pelo seu movimento. A má formação desses flagelos ou mesmo a ausência é um dos fatores da esterilidade dos homens.

FONSÊCA, Y.C.A.


Referências:

ALBERTS, B.; BRAY, D.; LEWIS, J. Biologia molecular da célula, 4ªEd. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ROSS, M. H. et al. Histologia: texto e atlas, 5ª Ed : Guanabara Koogan, 2008.

JUNQUEIRA, L.C.U. Biologia celular e molecular, 8ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

0 comentários:

Postar um comentário

Esclareça suas dúvidas no http://www.formspring.me/cienciasmorfo